Uma casinha feita com muito esmero

Outro dia atrás fiquei me perguntando por que os brinquedos de crianças são tão caros e concluí que deve ser pelo fato de que, via de regra, pais não são muito bons em negar as coisas para os seus filhos e acabam pagando ainda que o preço seja meio fora de base.

Então fiquei pensando, e para quem não pode comprar de jeito nenhum, como fazer? Só se for fazendo seus próprios brinquedos. E foi mergulhando nessa ideia que resolvi começar uma casinha para a minha filha, que saísse praticamente de graça.

Pensei em fazer de madeira no início, mas se tornou inviável logo, visto que moramos em apartamento. Então optei por papelão, pois é fácil de arranjar e de trabalhar. Não precisei de muito no início, apenas duas dessas caixas que vem essas TVs LCD grandes. Idealizei um projetinho no papel e mandei ver na tesoura (kkkk).
Além do papelão, inicialmente precisei de fita branca, similar a durex, e um tubo grande de cola. Como a casa da Laura ficaria em um canto do seu quarto, eu precisava fazer apenas duas paredes, e fixa-las firmemente nas paredes da quina do quarto. Em uma das paredes de papelão recortei uma porta, da altura de Laura, e na outra uma janela.

Para fixar no chão e nas paredes, fiz dobras, e depois passei duas camadas de fita branca, tanto na fixação no chão, quanto nas paredes. Como o quarto da Laura possui papel de parede em uma das paredes que usei, tive que reforçar a colagem nesta, visto que a fita branca praticamente não cola sobre papel de parede. Então colei uma tira de papelão nas duas paredes do quarto, ligando as extremidades das duas paredes de papelão. Só assim a estrutura pôde ficar mais firme.

Para fazer o telhado usei uma das caixas de TV. Repeti o processo que fiz com as paredes. Fiz dobras nas extremidades do papelão e colei nas paredes do quarto, e nas paredes da casinha. Usei muita cola e fita branca.

Para auxiliar na ventilação da casinha instalei um mini ventilador com entrada usb, que já tinha, no teto da casinha, e agora também tem luz e um suporte para o celular, onde a Laura poderá assistir aos seus vídeos.
A decoração da casinha ficou por conta da mamãe, que se esbaldou nos detalhes. Fez cortina, pintou paredes, colocou fotinhas no teto, mensagem de boas vinda e colocou um confortável colchãozinho pra Laura deitar.

Meu maior interesse no momento da construção da casinha era cultivar a curiosidade da Laura e posso dizer que ela amou todo o processo. Hoje volta e meia quando procuro ela dentro de casa a encontro dentro de sua esmerada casinha.

Tenho muitos projetos futuros de brinquedos, sejam reciclados ou de baixíssimo custo. Penso na versão 2 da casinha, dessa vez com cozinha e entrada estilo castelo medieval. Também penso em usar pvc nas próximas invenções.

O que aprendi? É que cabe a nós, pais, controlarmos o consumismo cego e exagerado de nossas crianças enquanto é tempo, mesmo porque os momentos mais marcantes e as coisas mais importantes, tem custo praticamente zero, e provavelmente seríamos capazes de abdicarmos de tudo por eles.

Bom, por enquanto é isso.

Caetano Finisterre é um pai apaixonado pela sua menininha e sempre disposto a aprender junto com ela.
Laura Finisterre está com 1 ano e um mês e a cada dia que passa nos surpreende com seu desenvolvimento.

 

Pai da Laura. Xinguarense de nascença e Palmense de coração; Analista de Sistemas e amante de tecnologias; Bombeiro Militar; Sou apaixonado por natureza, motos, viagens e aventuras.

2 thoughts on “Uma casinha feita com muito esmero

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados *