Rotina: Longe da mamãe

Aos poucos vamos nos adaptando à nova rotina. As manhãs ficaram um pouco mais corridas, pois tenho os cuidados usuais com a Laura e ainda as tarefas domésticas. Tento terminar tudo pelo menos até meio dia.

Geralmente a Laura desperta umas 7:30 e é hora de mamar! Ela diminuiu o tempo de mamada para cerca de 40 minutos. Ás vezes ela volta a dormir e eu a coloco em um colchãozinho no chão da sala, para que eu possa ficar de olho.

É nesse tempo que corro para fazer as coisas do dia-a-dia, e ainda tiro o leite para a tarde. É verdade que posso congelar o leite e que ele dura por até  15 dias no congelador, mas gosto de sempre deixar um leite fresquinho do dia, e só em último caso usar o congelado.

Ah, também havia começado a doar leite materno, mas acabei parando por causa da correria em ter que tirar o leite para a Laura, dar mamar, e os outros afazeres. Lógico que não é o certo e pretendo voltar, mas a rotina tem sido puxada por enquanto.

Doar leite é uma atitude muito nobre e de extrema importância, já que que ajuda várias criancinhas que por algum problema tiveram que ficar na UTI e as mães não tem como amamentar. Quero voltar a doar logo logo. Mesmo com a correria não é impossível,  porque uma equipe do banco de leite vem até a nossa casa deixar o kit e buscar o leite ordenhado.

Na agenda de trabalho da mamãe.
Na agenda de trabalho da mamãe.

Geralmente às 9h a Laura começa a reclamar. É hora do banho. Depois do banho ela já quer mamar, e já fica caindo de sono. Eu aproveito essa soneca que dura mais ou menos uma hora e meia, e tento adiantar o almoço, organizar a casa…

O papai chega em casa por volta de 12:20. Daí almoçamos e descansamos um pouco antes de me arrumar para o trabalho. Bom, mas nesse meio tempo a Laura sempre acorda, daí é hora de mamar de novo, tirar mais leite para a tarde (mesmo que, ela ainda não esteja aceitando de jeito nenhum outra coisa além do peito) e arrumá-la pra ir para a casa da vovó.

c730c1be-5bf6-4a12-82d7-bfad764d730e

Sempre que estou no meu trabalho recebo fotinhas e vídeos que a vovó manda. Isso me tranquiliza um pouco, mesmo quando é para falar que ela está chorando muito ou não quis mamar de jeito nenhum. Isso porque eu sei que é “normal” ela ficar um pouco mais irritada por estar longe de mim, e porque fico em paz por ela estar com pessoas que a amam tanto quanto nós e que estão fazendo de tudo para cuidar bem dela.

Claro que dá um aperto no coração, um nó na garganta, mas é assim mesmo… um dia após o outro, estamos vencendo.

 

 

Jornalista que desde sempre ama livros, desenhos e vê o mundo de forma lúdica. Se sente completa por ser mãe da Laura e sua missão é fazer sua pequena feliz!

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados *