Percepção do papai das ultimas cinco semanas

Voltei a trabalhar semana passada e agora tenho que dividir minhas energias entre família, trabalho e eu. As noites já não são as mesmas, e os dias muito menos. Sempre gostei de padrões (apesar de ser um completo bagunceiro), de fazer as coisas seguindo uma certa lógica, ou pelo menos minha lógica. Tento sempre fazer as coisas da forma mais prática possível e em casa tento deixar tudo de forma a agradar o maior dos preguiçosos.

Com o papai
Com o papai

Mas nas ultimas cinco semanas tudo mudou, e não poderia ter sido diferente. Depois no nascimento da Laura tive que aprender a dançar conforme sua música e percebi que cuidar de um bebê exige muito mais que limpar e alimentar. Na minha singela concepção essa tarefa exige dedicação da forma mais plena possível, exige esforço, exige cuidado, zêlo e carinho. Ser pai não é acordar a noite pra trocar o bebê, é cuidar, é mais que abraçar, é acolher, é mais que enxergar, é entender. Nas últimas semanas aprendi coisas que teoria nenhuma poderia me ensinar. Costumo dizer que nenhum trabalho exigiu tanto de mim, e melhor ainda, nenhum conseguiu me compensar tanto.

Papai ama fazerarte com ela...
Papai ama fazer arte com ela…

Hoje consigo ter uma noção aprimorada do que é felicidade, do que é euforia, do que é um milagre, por que as tenho sentido, as tenho presenciado.

... e ela adora uma arte
… e ela adora uma arte

Durante quase todas as fases da minha vida sempre vislumbrei a possibilidade de voltar ao passado para mudar alguma coisa no presente, sempre tive essa curiosidade de ver as mudanças que isso refletiria no meu presente, mas hoje sinto que deveria estar aqui, exatamente onde estou, e já não consigo imaginar minha vida sem essas ultimas cinco semanas.

Então hoje olhando para o passado percebo que errei enquanto sentia receio pelo que viria a acontecer nos dias seguintes, sempre me concentrando nos pontos negativos da mudança, no trabalho e gasto extras, no tamanho da responsabilidade, nos choros e noites em claro, enquanto que deveria pelo menos ter tentado vislumbrar o que toda essa experiência poderia me acrescentar e na qualidade do amadurecimento que ela poderia me proporcionar. Então sinto que sofri gratuitamente por antecipação e hoje me surpreendo diariamente com as coisas maravilhosas que a vida, principalmente Gisele e Laura, tem me dado.

Hoje sou muito mais feliz, maduro e humano que antes.

Pai da Laura. Xinguarense de nascença e Palmense de coração; Analista de Sistemas e amante de tecnologias; Bombeiro Militar; Sou apaixonado por natureza, motos, viagens e aventuras.

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados *