Laura está na adolescência dos bebês

Já faz algum tempo que o temperamento da Laura mudou drasticamente, de menina calma e carinhosa pra rebelde e impaciente. Descobri que esse período, que rodeia os 2 anos é comumente chamado de adolescência do bebê, pelo fato do comportamento da criança se assemelhar em muitos aspectos ao de um adolescente.

Nessa fase o bebê começa a perceber que possui desejos e opiniões próprias, e para externar isso sua principal atitude é contrariar tudo que vem dos pais.

Estamos passando por isso com a Laura. Tudo que pedimos ou propomos ela nega avidamente. Até usei estratégias de psicologia inversa com ela, o que funcionou por um tempo, até que ela percebeu o jogo (rsrs). Outro ponto, preocupante até, são os cenários de estresse. Laura dá tapas, arremessa objetos, grita ou se joga pra trás toda vez que seu desejo não é atendido.

Percebemos que o diálogo não resolvia esse tipo de situação, então instituímos o cantinho do pensamento, que é um tamboretinho no canto da sala, pra onde ela vai toda vez q se comporta mal. Temos obtido bons resultados até então com isso.

Eu acredito que é importante ser rígido com a criança, mas também acredito no espaço que cada pessoa precisa para se entender e evoluir, por isso não brigamos com ela abruptamente quando ela faz birras, visto que muitas vezes essas birras representam não só um desejo dela, mas uma necessidade, então é importante aguçar a sensibilidade pra não agir de forma repressora ou ditadora demais.

Queremos que a Laura tenha liberdade em se expressar, que tenha liberdade para evoluir e por isso ponderamos bastante em relação ao melhor modo de passarmos por essa complicada fase.

PS. Os episódios mais críticos, no nosso caso, geralmente ocorrem na presença da mãe.

Referência: https://bebe.abril.com.br/familia/adolescencia-do-bebe-a-terrivel-crise-dos-2-anos/

Pai da Laura. Xinguarense de nascença e Palmense de coração; Analista de Sistemas e amante de tecnologias; Bombeiro Militar; Sou apaixonado por natureza, motos, viagens e aventuras.

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados *