Eu cuido assim! Crise do sono profundo, por Gláucia Waléria

Olá! Vamos contar mais uma história de superação no Eu cuido assim! Nenhuma mãe deseja ver o filho passar por uma dor, uma enfermidade ou qualquer tipo de sofrimento. Imagine então, ver seu filho desfalecer nos seus braços e você nada poder fazer?

Isso aconteceu com a minha amiga Gláucia e seu filhinho Enzo. Convido você a ler essa história e se emocionar com a gente.

Eu trabalhava no HOP – Hospital de Olhos de Palmas. No hospital eu não tinha percebido até então nada de diferente com meu filho. Eu levei na consulta para o teste de olhos mais específico e nada. Com 1 mês para 2 meses eu percebi que ele tinha os olhinhos para dentro.

tapa olhoLevei ele novamente na médica e foi feito exames e foi constatado que ele tinha astigmatismo e desvio dos olhos, aí a medica passou uso de tampão com horários alternados.

Com o passar do tempo, foi constatado que o problema dele era no nervo e teria que fazer cirurgia. Daí a médica dele foi embora e tive que trocar de médico, e esse médico disse que ele não tinha grau. Mas achei estranho sabe, astigmatismo não tem grau.

Então me informaram sobre uma médica, a dra. Vivian. Maravilhosa, que hoje é médica dele.

Quando ele tinha de 1 para 2 anos, eu percebi que o outro olho dele também estava ficando para dentro. Daí ele foi examinado pela dra. Cíntia e ela me encaminhou para um neuropediatra. Foi aí que descobrimos que o Enzo além de estrabismo, tinha problemas de epilepsia. Ele teve uma crise em 2014.

O maior susto

Em novembro de 2014, era um domingo, o Enzo como qualquer criança brincou o dia todo normal. Quando deu umas 19:00 entramos, ele banhou e jantou normal, e foi dormir por volta de umas 21:00. Quando deu umas 23:00 mais ou menos, ele começou a chorar, chorar e chorar. Fui até ele e conversei, perguntei o que ele tinha, se estava doendo algo, mas que ele não me respondia, só chorava muito.

Então gritei o pai dele que o pegou e começou a chamar por ele, mas ele não reagia. Só chorava. Pegamos ele e eu o levei para o banheiro pra ver se ele acordava. Dei banho e nada do meu filho acordar, sabe.  Daí entrei em desespero. Chamei minha sogra e ela o pegou, rezou e nada.

Corremos para a UPA – Unidade de Pronto Atendimento, e nesse tempo todo o Enzo não apresentava reação nenhuma. Não acordava e só chorava. Quando chegamos na UPA corri para a sala do médico, deitamos ele e nada. O médico o pegou e começou a apertar ele, beliscar e nada.

Eu comecei a ficar mais desesperada ainda, porque o meu filho nem com o médico reagia. O médico virou pra gente e falou para corrermos para o Hospital Infantil.  Corremos para lá e meu filho não acordava.

EnzoEle ficou internado 3 dias e o médico disse que meu filho estava tendo uma crise epiléptica, mas a crise dele foi dormindo. Desde a hora em que o meu filho começou a ter a crise de domingo para segunda, não teve reação.

Na segunda-feira, as enfermeiras pediram para eu levá-lo para fora e colocar o rosto dele no sol para ver se ele acordava. Eu colocava pano gelado nele e mesmo assim ele não acordava. Nesse momento eu não aguentei, fui lá fora e disparei a chorar e pedia a Deus que tivesse misericórdia do meu filho e que ele reagisse e acordasse.

O Meu filho veio acordar, apresentar reação, na segunda-feira, entre 11:00 e 12:00. A primeira coisa que ele pediu foi água.

Foi o dia que eu mais sofri com o meu filho, mas graças a Deus, hoje ele está bem e nunca mais teve crise.  De acordo com os médicos, ele teve uma crise de sono profundo, porque a dose do remédio que ele tomava estava insuficiente para o tamanho dele. Então a médica aumentou a dose.

Hoje o Enzo usa óculos. Os olhos dele, a cada dia que passa tem evolução. Ele enxerga bem e não tem necessidade de cirurgia para correção. No momento, ele faz tratamento com remédio controlado. Graças a Deus ele está ótimo e é uma criança muito feliz.

Agradecemos imensamente a Gláucia por nos contar sua história inspiradora. O Enzo é um vencedor e ficamos muito felizes com sua evolução. Não podemos jamais deixar de ir atrás, caso notemos algo de errado em nossas crianças. A melhor atitude é procurar um profissional e buscar tratamento, assim como a família do Enzo fez.

Jornalista que desde sempre ama livros, desenhos e vê o mundo de forma lúdica. Se sente completa por ser mãe da Laura e sua missão é fazer sua pequena feliz!

One thought on “Eu cuido assim! Crise do sono profundo, por Gláucia Waléria

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados *