Estomatite, como tratamos

A Laurinha está desde a semana passada sofrendo muito com uma estomatite. É a segunda vez que a boquinha dela inflama.

Começou com o que parecia ser um resfriado. Nariz entupido, garganta inflamada e babando muito, além de febre alta e persistente desde a última quarta-feira (controlada com medicamento).

Na quinta-feira nós a levamos ao pediatra e ele a medicou para o que seria um resfriado.

No domingo percebi algumas feridinhas na língua dela. Eram esbranquiçadas. A gengiva dela também estava inflamada e começou a sangrar.

Com base em um diagnóstico de estomatite que ela tinha recebido há cerca de dois meses, fiz uma pesquisa na internet e todos os sintomas e características bateram… Era a dolorosa estomatite de novo.

Vou reproduzir alguns trechos de uma publicação do site Baby Center

“Estomatite é uma infecção viral bastante comum em crianças e provoca várias feridinhas (ou aftas) na boca e garganta, causando muitas vezes grande desconforto e dor”.

Quais são os sintomas da estomatite?

As feridas são pequenas (de 1 a 5 milímetros de diâmetro), acinzentadas ou amareladas no centro e avermelhadas por fora.

Sua gravidade e localização dependem muito do tipo de vírus que está provocando a estomatite.

As lesões podem aparecer na gengiva, na parte interna das bochechas, no fundo da boca, nas amígdalas, na língua ou no céu da boca. As gengivas podem ficar ainda inflamadas e sangrar facilmente.

Como essas aftas costumam ser doloridas, seu filho possivelmente ficará irritado, vai babar mais que de costume e perderá o apetite e até a sede (dói para engolir). Fonte: BabyCenter

Medicação

Bom, no nosso caso, além de controlar a febre com Ibuprofeno, nós estamos dando xarope (Alivry); Umckam – inflamação; Nenem Dent (para aliviar as dores das feridinhas). 

Atenção

Gostaríamos de acrescentar que não encorajamos ninguém a medicar o próprio filho com base no que demos para a nossa, visto que chegamos a essa receita depois de consultarmos o pediatra e o mesmo receitá-la com base nas necessidades e características específicas da nossa filha. Portanto, o mais adequado é sempre consultar um médico pediatra.

Jornalista que desde sempre ama livros, desenhos e vê o mundo de forma lúdica. Se sente completa por ser mãe da Laura e sua missão é fazer sua pequena feliz!

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados *