nossa tribo na praia

Duas pessoas é pouco, uma só é pior ainda

Vi essa frase em um comentário de uma página maravilhosa que sigo no Facebook: Vegana é a sua mãe, sobre o ditado: “É preciso uma tribo inteira para cuidar de uma criança”. Uma seguidora comentou: “Dois é pouco, uma só é pior ainda”!

E essa frase martelou como um sinal na minha cabeça. Se encaixa perfeitamente no que eu penso.

Outro dia precisávamos levar a Laura ao médico. De novo a gripe insistente. Mas eu e o pai dela trabalhamos fora. Um dos dois teria que fazer isso.

Veja bem. Ela tem duas pessoas para cuidar dela e levá-la ao médico, se preciso. Numa rápida conversa sobre a nossa logística do dia, decidimos que era melhor o pai dela levá-la.

E ele foi, com toda paciência aguardou com ela a consulta, me mandou fotos de lá e depois a levou para fazer os exames.

Isso me deixa tão feliz, tão grata. Porque eu não consigo parar de pensar nas mães que não tem esse apoio.

Com toda ajuda que eu tenho, seja do próprio pai, das avós e ainda das tias maravilhosas, tem dias que eu acho que não vou dar conta.

Todos os dias, por vários motivos eu sou invadida por sentimentos de culpa. “Será que estou fazendo um bom trabalho? Será que é assim mesmo que se cria? É… só amor não basta e cuidar de uma pessoinha dá muito trabalho!”.

nós na praia
Nós na praia

São minhas viagens psicológicas.

Mas, vendo os textos da Júlia do VESM, e principalmente lendo os relatos de outras mães nos comentários, eu me dou conta de que poderia ser pior. Muito pior.

Por isso que esse ditado faz tanto sentido: “É preciso uma ‘vila inteira’ para cuidar de uma criança”.

Sim! Precisamos de rede de apoio. Precisamos de sororidade. Precisamos praticar a empatia. E isso serve pra mim, como um alerta.

Quantas amigas não estão sozinhas nessa tarefa árdua que é ser mãe solo?! Tempo integral, sem descanso, sem direito de curtir preguiça, nem se dar “ao luxo” de adoecer.

  • 1
    Share

Jornalista que desde sempre ama livros, desenhos e vê o mundo de forma lúdica. Se sente completa por ser mãe da Laura e sua missão é fazer sua pequena feliz!

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados *