2 anos e 10 meses – Fase de Socialização

A Laura completou 2 anos e 10 meses no último dia 02, e com o passar do tempo, notamos que ela está demonstrando mais interesse em se socializar. Quando vamos sair, por exemplo, que encontramos algumas pessoas na rua, ela olha e cumprimenta: “Oi, tudo bem?”. E quando vamos ao parquinho ela já tenta se enturmar, conversa, conta histórias e chama para brincar.

Acredito que, como tudo que uma criança absorve, isso foi algo que ela foi aprendendo conosco. Teve uma fase, há pouco tempo, que tudo era “não”. Alguém a cumprimentava e ela logo soltava um sonoro NÃO e já fechava a cara. Com o tempo e conversas, onde eu explicava pra ela que não era educado agir assim, que tinha que falar: “Oi, tudo bem?”, ela foi mudando sua postura.

Inclusive fizemos um post falando um pouco sobre esta fase, comumente chamada de adolescência dos bebês.

Quando a gente vai chegando em alguns locais, ela vira para mim e fala: “Oi tudo bem, mamãe? Não! Não?”. Ficou confuso, né? Deixa eu traduzir. Ela está querendo dizer: “Mamãe, é para falar oi, tudo bem? Não é para falar ‘Não’, né?”.

Ela já sabe começar um assunto, ou contar uma história, como ela mesma prefere dizer. Outro dia, ela se sentou no sofá e falou na linguagem dela: “mamãe, senta aqui. Quero te contar uma história… olha, um menino sentou assim, puff, na minha mão”.

São tantas mudanças e novas palavras que fica até difícil acompanhar. Mas a gente tenta, ao máximo, prestar atenção em cada atitude nova.

De acordo com o site babycenter, amigos imaginários são muito comuns nesta fase. “Muitas crianças, especialmente as que não têm irmãos, criam seres imaginários entre os 2 anos e meio e os 3 anos. Essas criaturas imaginárias servem para oferecer consolo e assumir a responsabilidade por coisas que seu filho se arrepende de ter feito. Grande parte das crianças se desliga deste tipo de brincadeira até ter cerca de 6 anos”.

Dá para aproveitar ludicamente essas histórias e fantasias para entrar no mundinho deles e ensinar algo.

Jornalista que desde sempre ama livros, desenhos e vê o mundo de forma lúdica. Se sente completa por ser mãe da Laura e sua missão é fazer sua pequena feliz!

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados *