10 coisas que aprendi com a maternidade

1. As coisas nem sempre saem como desejamos ou planejamos e não devemos nos martirizar por isso. Planejei um parto natural e tive que fazer cesárea. Desejava voltar a trabalhar quando minha filha tivesse pelo menos seis meses e tive que  voltar antes dela completar quatro.

2. Esqueça todo “manual de instruções” sobre criação. Muitas vezes idealizamos ou sofremos por antecedência. Só descobri mesmo o que é fazer escolhas em relação a um filho após a Laura ter nascido.

3. Nem sempre a teoria vai surtir efeito com você. Apesar de ler muito, assistir vídeos e buscar referências (o que é super válido), cada caso é um caso.

FB_IMG_1453387359938

4. A gente precisa (e muito) de ajuda. Então não podemos ter medo de perguntar.

5. Devo filtrar opiniões. Digo por experiência, elas serão muitas e virão de todos os lados, mas cabe a gente acatar ou ignorar certos palpites.

6. O casal deve estar mais sintonizado que nunca. O dia a dia com um bebê exige muito isso.

7. Devo fazer as escolhas em relação a criação da minha filha serem respeitadas. Ainda estou em fase de colocar isso em prática. Sempre ponderei demais para não soar arrogante ou magoar as pessoas, por isso acabo guardando chateações para mim.

8. Minha filha precisa de mim. Mas tenho que prepará-la para ser independente pois eu não estarei aqui para sempre.FB_IMG_1452177994543-1

9. Cada segundo é precioso. Sempre ouvi dizer, mas agora entendo o conselho “aproveite o máximo, pois passa muito rápido”. Eles crescem num piscar de olhos e cada fase tem sua peculiaridade.

10. Não negar amor. Não negar colo. Não economizar “eu te amo”, afinal de contas o tempo não voltará.

Jornalista que desde sempre ama livros, desenhos e vê o mundo de forma lúdica. Se sente completa por ser mãe da Laura e sua missão é fazer sua pequena feliz!

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados *